Metal na Lata

Novidades e atrações confirmadas no Festival Summer Breeze Brasil 2024 (Sempre atualizado)

Summerbreeze-Brasil-Cartaz
Compartilhe

Novidades e atrações confirmadas no Festival Summer Breeze Brasil 2024 (Sempre atualizado)

O tradicional festival de heavy metal alemão se estabelece de vez em solo brasileiro com sua segunda edição em 2024 e divulga cartaz com line-up oficial.

Considerando o estrondoso sucesso da primeira edição no Brasil do festival alemão Summer Breeze Open Air, realizado em 2023 no Memorial da América Latina (São Paulo/SP), a segunda edição do festival está confirmadíssima para os dias 26, 27 e 28 de Abril de 2024, no mesmo local.

O line-up completo dos três dias traz como headliners bandas consagradas no cenário do heavy metal como WITHIN TEMPTATION, HAMMERFALL, ANTHRAX, KILLSWITCH ENGAGE, SEBASTIAN BACH, MR.BIG, EPICA, MERCYFUL FATE e os agora revelados WHILE SHE SLEEPS, FLOTSAM AND JETSAM e um dos grandes nomes do Heavy/Rock mundial e ex-líder do KISS: GENE SIMMONS e sua banda solo.

Os ingressos já estão disponíveis através do Clube do Ingresso e pontos de venda sem taxa de conveniência em: www.clubedoingresso.com/evento/summerbreeze2024

Mais sobre o festival: https://linktr.ee/summerbreezebrasil
Outras informações em: www.summerbreezebrasil.com
Siga @summerbreeze.brasil

Confira abaixo todas atrações confirmadas (sempre atualizado a cada anúncio oficial do evento)

ANÚNCIO 13 (17/02/2024)

Como já é do conhecimento de alguns, por motivos alheios ao festival, infelizmente, a banda Spektra não poderá se apresentar no Summer Breeze Brasil.

Quem entra no lineup e se apresenta no Waves Stage dia 27 de abril, é a banda Noturnall.

ANÚNCIO 12 (29/01/2024) (horários das apresentações e mapa do local)

ANÚNCIO 11 (17/01/2024) (line-up completo)

Sexta-Feira, 26 de abril:
Gene Simmons Band, Mr. Big, Sebastian Bach, Biohazard, Exodus, Black Stone Cherry, Edu Falaschi, Flotsam And Jetsam, The 69 Eyes, Tygers Of Pan Tang, Nestor, Dr. Sin, Massacration, Cultura Três, Sioux 66, Electric Mob, Minipony, Zumbis Do Espaço, Alchemia e Clash Bulldogs.

Sábado, 27 de abril:
Within Temptation, Epica, Hammerfall, Lacuna Coil, Angra, Gamma Ray, Forbidden, In Extremo, Dark Tranquility, Nervosa, The Night Flight Orchestra, Jeff Scott Soto, Jelusick, Korzus, Eminence, Sinistra, Nite Stinger, Noturnall, About2Crash e Rage In My Eyes

Domingo, 28 de abril:
Mercyful Fate, Anthrax, Killswitch Engage, Carcass, Avatar, Overkill, Amorphis, Death Angel, While She Sleeps, Battle Beast, Eclipse, Ratos de Porão, Torture Squad, The Troops Of Doom, Kryour, Axty, John Wayne, Hellish War e New Blood Winner

ANÚNCIO 10 (17/11/2023) (line-up “quase” completo)
ANÚNCIO 09 (11/11/2023): Exodus, Battle Beast, Jeff Scott Soto
ANÚNCIO 08 (04/11/2023): Gamma Ray, Black Stone Cherry, Overkill, Nestor
ANÚNCIO 07 (29/09/2023): Killswitch Engage, The 69 Eyes, Tygers Of Pan Tang, Sinistra
ANÚNCIO 06 (23/09/2023): Korzus, Torture Squad, Eminence, The Troops Of Doom
ANÚNCIO 05 (15/09/2023): Hammerfall, Lacuna Coil, Carcass, Edu Falaschi
ANÚNCIO 04 (09/09/2023): Mr. Big, Sebastian Bach, Death Angel, Dr. Sin
ANÚNCIO 03 (03/09/2023): Anthrax, Biohazard, Avatar, Nervosa
ANÚNCIO 02 (25/08/2023): In Extremo, The Night Flight Orchestra, Forbidden, Ratos de Porão
ANÚNCIO 01 (19/08/2023): Within Temptation, Angra, Amorphis, Eclipse

…::: SOBRE AS BANDAS :::…

GENE SIMMONS BAND: o grande anúncio surpresa do festival, é liderada por Gene Simmons, o baixista e vocalista da banda KISS. Gene faz o vocal principal de vários clássicos e de músicas cultuadas pelos fãs de Kiss, como “Rock and Roll All Nite”, “God of Thunder”, “I Love It Loud”, “Deuce”, “Calling Dr. Love”, “Unholy”, “Cold Gin”, “Naked City”, “A World Without Heroes”, “War Machine”, “Killer”, “Not for the Innocent”, “Young and Wasted”, “Thief in the Night”, “Domino” e outras. O impacto do Kiss na música e na cultura pop ainda é sentido e Simmons continua sendo uma figura proeminente no rock’n’roll.

FLOTSAM AND JETSAM: Banda foi formada em 1981 e a formação que gravou o cultuado debut, “Doomsday for the Deceiver” (1986), incluía Eric “A.K.” Knutson (vocal), Michael Gilbert e Edward Carlson (guitarras), Jason Newsted (baixo) e Kelly David-Smith (bateria). Pouco antes do lançamento, Newsted se juntou ao Metallica, onde ocupou o posto do saudoso Cliff Burton e ficou mundialmente famoso. Apesar de não ter alcançado o mesmo nível de sucesso comercial que algumas de suas contemporâneas, o Flotsam and Jetsam continuou a lançar álbuns regularmente. O grupo obteve destaque com “No Place for Disgrace” (1988), “Cuatro” (1992) e, mais recentemente, por álbuns como “Ugly Noise” (2012) ou os que buscaram resgatar mais as raízes heavy/thrash, como “Flotsam and Jetsam” (2016), “The End of Chaos” (2019) e “Blood in the Water” (2021). Vem pela primeira vez ao Brasil!

MERCYFUL FATE: há 40 anos, o Mercyful Fate mudou os rumos do heavy metal ao lançar o álbum de estreia, “Melissa”, que se tornou um clássico do estilo. Àquela altura, a banda dinamarquesa já tinha lançado o EP homônimo, também conhecido como “Nuns Have No Fun”, em setembro de 1982. O som distintivo praticado por King Diamond (vocal), Hank Shermann e Michael Denner (guitarras), Timi “Grabber” Hansen (baixo) e Kim Ruzz (bateria) vinha com vocais versáteis, incluindo agudos e falsetes, guitarras bem trabalhadas e uma temática voltada ao ocultismo, satanismo e histórias de horror. O segundo álbum, “Don’t Break The Oath” (1984) também se tornou um clássico do heavy metal. Devido às letras e à estética satânica, o álbum gerou controvérsia e atraiu a atenção de grupos religiosos e conservadores na época. Então, o Mercyful Fate realizou, em 11 de abril de 1985, aquele que ficou marcado como seu último show com a formação original. King Diamond criou outra banda e partiu para a carreira solo, que obteve sucesso. A banda retornou em julho de 1992 e, desde então, lançou “In the Shadows” (1993), “Time” (1994), “Into the Unknown” (1996), “Dead Again” (1998) e “9” (1999). Em seus shows, o Mercyful Fate apresenta um cenário de palco com uma atmosfera sombria e misteriosa, com altares de rituais, velas, tochas, pirotecnia, estátuas, cruzes invertidas, símbolos ocultos, como pentagramas, decorações góticas com arcos, vitrais e outros detalhes arquitetônicos. Além disso, King Diamond também é famoso por sua maquiagem e seus figurinos teatrais, além do “microfone de osso”. Sendo assim, a performance completa, visual e sonora, do Mercyful Fate no Summer Breeze Open Air Brasil será uma experiência inesquecível, um “must-see”.

WHILE SHE SLEEPS: Quinteto de metalcore oriundo de Sheffield (ING), está prestes a lançar o sexto álbum de estúdio, “Self Hell” (2024). O novo trabalho, agendado para sair no dia 15 de março, promete ser um novo marco na carreira de Lawrence ‘Loz’ Taylor (vocal), Sean Long e Mat Welsh (guitarras), Aaran McKenzie (baixo) e Adam Savage (bateria). Explorando uma paleta de influências mais ampla para criar uma colagem sonora das paixões musicais de cada membro, “Self Hell” parece um segundo álbum de estreia de uma banda que se tornou uma força vital na última década. A banda vem colecionando conquistas desde a sua formação, em 2006. Em 2012, com “This Is The Six”, veio o prêmio de “Melhor Grupo Novato Britânico” no Kerrang! Awards. O álbum “You Are We” (2017) rendeu indicações a prêmios de revistas como Metal Hammer e uma vitória de Melhor Álbum no Heavy Music Awards, além de alcançar o top dez nas paradas de álbuns do Reino Unido. Outro sucesso veio com a aclamação crítica generalizada por “Sleeps Society”.

EPICA: A vocalista holandesa Simone Simons, que fez sua estreia há 20 anos em The “Phantom Agony”, hoje tem em sua discografia oito álbuns de estúdio gravados com a banda holandesa Epica. Ela participou da primeira edição do Summer Breeze Open Air Brasil fazendo uma palestra. Agora, no entanto, voltará para a edição de 2024 com o Epica. Referência do metal sinfônico, o grupo surgiu das cinzas do After Forever, quando Mark Jansen formou o Sahara Dust, na tentativa de criar o som que pretendia fazer e que fora o motivo da saída de sua ex-banda. No início de 2003, o nome foi mudado para Epica, em homenagem ao álbum de mesmo nome lançado pelo Kamelot. Mais recentemente, o grupo lançou o EP digital “Live At AFAS Live”, o último lançamento antes de Simone Simons, Mark Jansen (vocal e guitarra), Isaac Delahaye (guitarra), Rob van der Loo (baixo), Coen Janssen (teclado) e Ariën van Weesenbeek (bateria) entrarem no estúdio para gravar o sucessor de “Omega” (2021).

DARK TRANQUILLITY: banda sueca, atualmente formada por Mikael Stanne (vocal), Johan Reinholdz e Joey Concepcion (guitarras), Christian Jansson (baixo), Joakim Strandberg Nilsson (bateria) e Martin Brändström (teclado), ostenta o título de precursora do chamado “Gothenburg Sound”, que veio a ser conhecido mundialmente por death metal melódico. Formada em 1989 por Mikael Stanne e Niklas Sundin sob o nome Septic Broiler, posteriormente passou a contar com Anders Fridén (vocal, futuro In Flames), Anders Jivarp e Martin Henriksson. Em 1993, o Dark Tranquillity lançou seu disco de estreia, “Skydancer”, seguido por “The Gallery” em 1995, que é considerado um dos marcos do death metal melódico. Desde então, os suecos vêm numa boa crescente, tendo o ápice quando assinaram com a Century Media e lançaram “Projector” (1999) e “Heaven” (2000), que mostrou um novo rumo com a adição das partes de vocais limpos e elementos eletrônicos. A banda continuou a evoluir, incorporando elementos góticos e atmosféricos em seu som, ao mesmo tempo em que mantinha a agressividade característica do death metal. De qualquer maneira, retornou mais às raízes com “Damage Done” (2002) e continuou sua trilha com “Character” (2005), “Fiction” (2007), “We Are the Void” (2010), “Construct” (2013), “Atoma” (2016) e “Moment” (2020).

DINO JELUSIĆ: fundador, compositor e vocalista da banda de hard rock Animal Drive, o cantor e músico croata ganhou reconhecimento ao vencer o concurso “Dječji Festival” (2003). Jelusić lançou seu álbum solo de estreia, “No. 1”, em 2003, e uma versão em inglês em 2004. No mesmo ano, se tornou o mais jovem indicado ao prêmio de música croata Porin. Dino cresceu ouvindo bandas como King’s X, Whitesnake, Dream Theater e Toto, entre outras, e decidiu direcionar sua música para o hard rock e o metal. O álbum solo “Living My Own Life” foi lançado em agosto de 2011. Entre 2012 e 2013, ele foi contratado para participar de um projeto internacional na África do Sul chamado Synkropation. Em 2014, ficou em segundo lugar no festival internacional Slavianski Bazaar em Vitebsk, Bielorrússia. Além de trabalhar em vários projetos de hard rock e metal, Jelusić tornou-se membro permanente do Trans-Siberian Orchestra desde 2016. Ele também colaborou com músicos renomados como Gus G., Mike Mangini, George Lynch, Will Hunt, Michael Romeo, Jeff Scott Soto, Joel Hoekstra e outros. Dino obteve seu mestrado na Academia de Música da Universidade de Zagreb em 2020. Então, em julho do ano seguinte, David Coverdale anunciou que Jelusić se tornara um novo membro do Whitesnake.

EXODUS: considerado um dos pilares do thrash metal, o grupo americano teve suas origens na transição das décadas de 70 para 80, com uma formação inicial pouco conhecida que passou por várias mudanças. Após a gravação de uma demo em 1982 com Kirk Hammett, que mais tarde se juntou ao Metallica, e a entrada de Rob McKillop no baixo, a banda estabilizou-se com Paul Baloff no vocal, Gary Holt e Rick Hunolt nas guitarras, Rob McKillop no baixo e Tom Hunting na bateria, que lançaram o debut, “Bonded By Blood” (1985), que se tornou uma referência no thrash metal da Bay Area de São Francisco. A carreira do Exodus continuou com várias mudanças de formação, mas a banda sempre lançou álbuns impactantes, incluindo “Pleasures of the Flesh”, “Fabulous Disaster”, “Impact Is Imminent”, “Tempo of the Damned”, “Blood In, Blood Out” e “Persona Non Grata”, todos com o vocalista Steve “Zetro” Souza. A banda também teve o vocalista Rob Dukes em alguns de seus trabalhos, como “Shovel Headed Kill Machine”, “The Atrocity Exhibition… Exhibit A” e “Exhibit B: The Human Condition”. Exodus é frequentemente mencionada junto com o Metallica como uma das pioneiras do thrash metal na Bay Area de São Francisco, e suas influências incluem a New Wave Of British Heavy Metal e elementos do punk/hardcore. Gary Holt, o único membro constante desde “Bonded By Blood”, é conhecido por criar alguns dos riffs mais icônicos do thrash metal. A formação atual da banda inclui Steve “Zetro” Souza, Gary Holt, Lee Altus, Jack Gibson e Tom Hunting, e eles continuam a entusiasmar tanto os fãs mais antigos quanto os mais jovens com seu enérgico thrash metal ao vivo.

BATTLE BEAST: o Battle Beast teve sua origem no extremo sul da Finlândia em 2008 e alcançou reconhecimento global ao vencer o concurso “Metal Battle” finlandês do festival “Wacken Open Air”. No entanto, apenas após consolidar sua formação com Noora Louhimo nos vocais, Anton Kabanen nas guitarras e vocais, Juuso Soinio na guitarra, Janne Björkroth nos teclados, Eero Sipilä no baixo e Pyry Vikki na bateria, assinou contrato com a Nuclear Blast e lançou em 2013 o debut. Ao longo da carreira, o Battle Beast lançou álbuns de destaque, incluindo “Unholy Savior” (2015), “Bringer of Pain” (2017), “No More Hollywood Endings” (2019) e “Circus of Doom” (2021). A banda é conhecida por sua energia no palco e performances cativantes e é isso que pretende mostrar no palco do Summer Breeze Open Air Brasil.

JEFF SCOTT SOTO: filho de descendentes porto-riquenhos, Soto nasceu em 4 de novembro de 1965, no Brooklyn/NY (EUA). Tendo o rádio como “professor”, sequer precisou ter aulas de canto. Fã de R&B, black music, disco e funk, inicialmente achava o rock muito barulhento. Porém, logo entrou de cabeça no estilo. Até conseguir a vaga na banda do sueco Yngwie Malmsteen, passou pelo Kanan e Seducer. O vocalista, que segue em carreira solo e com o S.O.T.O e o W.E.T., também gravou com Axel Rudi Pell, Human Clay, Humanimal, Soul Sirkus e Redlist, entre outros, além de parte da trilha do filme “Rockstar” (2001). Ainda participou do Trans-Siberian Orchestra e passou pelo Journey. Sempre de bom astral, o fã da caipiroska brasileira – ele até fez curso para aprender a fazer bem a sua bebida preferida – se mostra disposto e animado para apresentar, em estúdio ou ao vivo, o melhor do hard rock, AOR, metal, disco, soul, funk, R&B e black music. Nos palcos, sua missão sempre foi a de entreter a plateia. Basta lhe dar o microfone ou um baixo, uma guitarra, um violão, um teclado, um trompete… No Summer Breeze Open Air Brasil, Soto fará um show com músicas de várias fases de sua carreira, incluindo Talisman, W.E.T. e Yngwie Malmsteen.

MASSACRATION: em 2005, os guerreiros do Massacration, liderados pelo vocalista Detonator, criaram a obra-prima “Gates of Metal Fried Chicken of Death”, estabelecendo o Metal como a lei suprema do universo. O álbum, abençoado pelo Deus Metal, apresentava riffs avassaladores forjados a ferro e fogo. Com clássicos como “Metal Massacre Attack” e “Metal Is the Law”, a banda conquistou trilhões de fãs, tornando-se a maior do heavy metal de todos os tempos. Ao longo dos anos, Detonator, Metal Avenger e Headmaster (guitarras), Redhead Hammet (baixo e guitarra) e Jimmy The Hammer (bateria) continuaram no topo da fama mundial, lotando estádios e arenas em todo o planeta. O álbum “Good Blood Headbanguers” e o DVD ao vivo “Live Metal Espancation” foram lançados em 2009 e 2017, respectivamente. A banda também produziu singles icônicos como “Metal Milf”, “Motormetal” e o mais recente “Metal is My Life”, cujo clipe acumula quase um milhão de visualizações. Celebrando o poder da música, o Massacration levou seus fãs à terra prometida do Heavy Metal, a fantástica Metal Land, e continua a transcender fronteiras intergalácticas com videoclipes cinematográficos e seu domínio incontestável no universo do Metal.

OVERKILL: a banda americana de thrash metal atualmente está promovendo o seu 20º álbum de estúdio, “Scorched”. A história data do início da década de 80, quando Bobby “Blitz” Ellsworth (vocal), Robert Pisarek (guitarra), D.D. Verni (baixo) e Rat Skates (bateria) se uniram em Nova Jersey. Com essa formação, saiu o debut “Feel the Fire” (1985). Rapidamente, o grupo ganhou reconhecimento com álbuns como “Taking Over” (1987) e “Under the Influence” (1988). Embora tenham enfrentado mudanças na formação ao longo dos anos, Blitz e D.D. Verni permaneceram membros constantes, lançando discos cultuados como “The Years of Decay” (1989) e “Horrorscope” (1991). Na década de 1990, muitas bandas de thrash enfrentaram desafios, mas se o Overkill tirou um pouco o pé no pesado “I Hear Black” (1993), seguiu íntegro, experimentando com seu som e lançando álbuns notáveis como “W.F.O.” (1994), “The Killing Kind” (1996), “From the Underground and Below” (1997) e “Necroshine” (1999). Com uma base de fãs leais, a banda é conhecida por suas performances energéticas ao vivo e é amplamente respeitada no cenário do thrash. Além disso, tem uma conexão especial com o Brasil, onde retornará em 2024 para o Summer Breeze Open Air Brasil.

GAMMA RAY: Banda alemã criada em 1989 pelo lendário guitarrista e vocalista Kai Hansen, um dos fundadores do Helloween, é conhecida por sua contribuição significativa para o power metal, influenciando muitas outras bandas do gênero. Quando deixou o Helloween, Hansen logo recebeu a oportunidade de criar um álbum solo. O projeto começou com o vocalista Ralf Scheepers (atual Primal Fear), uma escolha que haviam considerado para o Helloween no passado. Gradualmente, com álbuns como “Heading For Tomorrow” (1990) e “Sigh No More” (1991), se tornou uma banda sólida, praticando um power metal e heavy tradicional, caracterizado por riffs potentes, vocais melódicos e letras frequentemente relacionadas a temas de ficção científica, fantasia e questões sociais. O Gamma Ray, formado atualmente por Kai Hansen, Frank Beck (vocal), Henjo Richter (guitarra e teclado), Dirk Schlächter (baixo) e Michael Ehré (bateria), conclama sua base de fãs dedicados no Brasil para a apresentação no Summer Breeze Open Air Brasil. Você está preparado para clássicos como “Heaven Can Wait”, “Land Of The Free”, “New World Order”, “Rebellion in Dreamland”, “Armageddon”, “Heading for Tomorrow”, “Send Me A Sign” ou até “Somewhere Out In Space”?

BLACK STONE CHERRY: Chris Robertson (vocal e guitarra), Ben Wells (guitarra), Steve Jewell Jr. (baixo) e John-Fred Young (bateria) atualmente divulgam “Screamin’ at the Sky”, seu oitavo disco de estúdio. Originária de Edmonton, no Kentucky (EUA), faz um som inspirado no hard, southern rock e classic rock tipicamente americano e no estilo Lynyrd Skynyrd. A banda possui alguns álbuns de sucesso, incluindo o debut homônimo, lançado em 2006. Músicas como “Lonely Train” e “Hell & High Water” foram sucesso imediato em rádios no mundo todo e nas plataformas digitais, sendo até hoje faixas que marcam presença nos setlists dos shows. “Screamin’ At The Sky” marca uma nova fase para Black Stone Cherry, que certamente trará este novo momento para o festival Summer Breeze Open Air Brasil com um setlist recheado de incríveis músicas.

NESTOR: a banda sueca de hard rock/AOR composta por Tobias Gustavsson (vocal), Jonny Wemmenstedt (guitarra), Marcus Âblad (baixo), Martin Johansson (teclado) e Matthias Carlsson (bateria) escolheu seu nome a partir do mordomo do Capitão Haddock nas histórias em quadrinhos As Aventuras de Tintin. Fundada em 1989, quando os integrantes tinham entre 14 e 16 anos, encerrou suas atividades precocemente, mas retornou mais de 30 anos depois e soltou o debut, “Kids In A Ghost Town”, em 2022. Com uma inspiração na música dos anos 80/90, como também em filmes e revistas, a nostalgia está na moda. O single “1989”, que indica bem a fase em que o grupo foca sua musicalidade, teve 335 mil visualizações, se tornando uma grande sensação do hard sueco. O debut inclui músicas com letras pessoais, como “On the Run”, “Perfect 10”, “Firesign” e a faixa-título, que exploram a vida de um garoto com grandes ambições em uma pequena cidade do interior. Com esta inspiração na música dos anos 80/90, assim como em filmes e revistas, a nostalgia está na moda com a banda de hard rock Nestor. E eles estão prontos para te contagiar com esta energia num dos palcos do Summer Breeze Open Air Brasil.

KILLSWITCH ENGAGE: a banda americana de metalcore Killswitch Engage, que atualmente conta com Jesse Leach (vocal), Adam Dutkiewicz e Joel Stroetzel (guitarras), Mike D’Antonio (baixo) e Justin Foley (bateria), foi formada em 1999. O primeiro álbum, homônimo, lançado em 2002, levou a um contrato com a gravadora Roadrunner, por onde saiu “Alive Or Just Breathing”. Mudanças vieram e “The End of Heartache” (2004) marcou a estreia do vocalista Howard Jones e do baterista Justin Foley. “The End of Heartache” destacou a faixa-título, indicada ao Grammy, além de “Rose of Sharyn” e “When Darkness Falls”, que entrou na trilha do filme “Freddy Vs Jason”. O grupo continuou a lançar álbuns de sucesso com Howard Jones, incluindo “As Daylight Dies” (2006), que trouxe o cover de “Holy Diver” (Dio), e “Killswitch Engage” (2009), este na época em que a banda se apresentou no Brasil pela primeira vez. Jesse Leach retornou em 2012 e trouxe uma nova energia à banda, que seguiu surpreendendo em “Disarm the Descent” (2013), “Incarnate” (2016) e “Atonement” (2019), que também contou com a participação de Howard Jones (atual Light the Torch de SION) em “The Signal Fire”. Não é só em estúdio que o Killswitch Engage tem boa reputação, pois também é conhecido por suas performances intensas em festivais de grande porte, shows solo ou aberturas para nomes de peso, como a turnê ao lado do Iron Maiden em 2018.

THE 69 EYES: quando o sol se põe e a lua aparece, os embaixadores finlandeses do glam gothic rock, The 69 Eyes, orgulhosamente vestem seus óculos escuros, jaquetas de couro e delineador preto para se fundirem com a noite. Fundada nos bares nebulosos e crepusculares de Helsinque há mais de 30 anos, a banda atualmente promove “Death of Darkness”. O trabalho destacou, além de “Drive” e “Death of Darkness”, a faixa “California”, que segue as homenagens à Sunset Strip de Los Angeles. Com um gosto eclético pela morbidez, glamour, sexo e o sobrenatural, esses animais noturnos incorporam tanto a essência nebulosa do rock gótico escandinavo quanto a decadência luxuriosa do glam da Sunset Strip. É chique, é sexy, é provocante, é dramático… Assim, os chamados “vampiros de Helsinque” vão provar por que estão sempre em posições de destaque na edição de 2024 do Summer Breeze Open Air Brasil. Jyrki 69 (vocal), Bazie e Timo-Timo (guitarras), Archzie (baixo) e Jussi 69 (bateria) apresentarão o melhor de seu estilo, que mescla gothic, glam, hard, pós-punk e pop e tem nomes como The Sisters Of Mercy, Iggy Pop, Billy Idol, David Bowie, Elvis Presley, Hanoi Rocks, Danzig e Johnny Cash entre as referências.

TYGERS OF PAN TANG: criado em 1978 na cidade de Whitley Bay, localizada na costa do Mar do Norte em Tyne and Wear, na Inglaterra, o Tygers Of Pan Tang, um dos pioneiros da New Wave Of British Heavy Metal ao lado de Saxon, Def Leppard, Iron Maiden, Angel Witch e outros, vem lançando discos com frequência. E muitos dos recentes, tão aclamados quanto os do passado glorioso do debut “Wild Cat” (1980), “Spellbound” (1981) e “Crazy Nights” (1982). Com “Animal Instinct” (2008), “Ambush” (2012), “Tygers of Pan Tang” (2016), “Ritual” (2019) e “Bloodlines” (2023), os tigres continuam rugindo e mantendo vivo o legado da NWOBHM, preservando a autenticidade do hard’n’heavy encorpado que tornou a banda uma lenda do gênero. Ao longo dos anos, a formação passou por diversas mudanças. Porém, o guitarrista Robb Weir, único membro original atualmente, tem feito escolhas acertadas ao reunir um talentoso time ao seu lado, que hoje traz Jacopo “Jack” Meille (vocal), Francesco Marras (guitarra), Huw Holding (baixo) e Craig Ellis (bateria). Claro, não há como deixar de mencionar os talentos do passado, como os vocalistas Jess Cox e Jonathan Deverill; o guitarrista John Sykes, que ficou mundialmente famoso depois com Thin Lizzy, Whitesnake e Blue Murder; além de produtores de renome como Peter Collins, Phil Harding e o saudoso Chris Tsangarides.

SINISTRA: a banda paulistana de heavy metal Sinistra conta com line-up estrelado: Nando Fernandes (vocal, ex-Hangar, Cavalo Vapor e outras), Edu Ardanuy (guitarra, ex-Dr. Sin), Luis Mariutti (baixo, ex-Angra, Shaman, Andre Matos e Firebox) e Rafael Rosa (bateria, ex-Andre Matos e Ancesttral). Com um repertório consistente e letras em português, o quarteto formado em 2016 lançou em 2022 o debut, “Sinistra”, eleito um dos destaques do ano pela revista Roadie Crew. A promoção do material foi amparada pelos vídeos “Quem é você?”, “Viver”, “Nada é mais igual (Lockdown)” e “O Amanhã” (ao vivo), além de diversas apresentações, incluindo a ocorrida no palco Waves Stage do Summer Breeze Open Air Brasil de 2023. “A Sinistra teve a oportunidade de tocar no Summer Breeze 2023 no palco Waves Stage e foi uma experiência incrível. Voltar em 2024, agora em um dos palcos principais, será realmente um dos momentos mais importantes da nossa existência”, declarou o vocalista Nando Fernandes.

THE TROOPS OF DOOM: formado em 2020 por Alex Kafer (vocal e baixo), Jairo “Tormentor” Guedz (guitarra), Marcelo Vasco (guitarra) e Alexandre Oliveira (bateria), o The Troops of Doom rapidamente chamou a atenção dos fãs de death metal com dois EPs e singles. Atualmente, o grupo promove o álbum de estreia, “Antichrist Reborn”, com título que remete à música “Antichrist”, da época em que Jairo Guedz integrava o Sepultura, com o qual registrou o EP “Bestial Devastation” (1985) e o álbum “Morbid Visions” (1986). “Antichrist Reborn” sucede os EPs “The Rise of Heresy” (2020) e “The Absence of Light” (2021). Musicalmente, a banda busca resgatar a essência do death metal feito na década de 1980. Por sinal, o nome da banda tem ligação com a música “Troops of Doom”, faixa de “Morbid Visions” e uma das assinaturas musicais mais conhecidas de Jairo Guedz. Da estreia nos palcos, ocorrida no “Over Metal Fest 2021” em dezembro de 2021, até hoje, o grupo realizou diversas apresentações pelo Brasil e América do Sul, incluindo a presença em grandes festivais. “Ficamos imensamente felizes pelo convite e por voltar à São Paulo para tocar em um festival de Metal enorme como é o Summe Breeze Open Air Brasil. A segunda edição promete ser ainda melhor!”, comentou Jairo Guedz.

EMINENCE: vindo de Belo Horizonte (MG), o Eminence foi criado em 1995 pelo guitarrista Alan Wallace e logo chamou a atenção. Assim, após vários shows pelo estado de Minas Gerais, o grupo começou a ganhar visibilidade e foi convidado a participar do festival “Skol Rock”, em 1997. Após essa apresentação, o nome só cresceu e, por consequência, o grupo realizou aberturas para lendas do metal, como Motörhead, Mercyful Fate e Destruction. Tendo na bagagem três EPs, seis álbuns de estúdio e um ao vivo, o grupo de metalcore/groove metal já rodou o mundo com turnês e shows na Colômbia, Nova Zelândia, Estados Unidos, Suriname e China. Além disso, se apresentou em duas edições do “Rock in Rio” (2015, 2019 e 2022) e no Festival Woodstock na Polônia, em 2015. Atualmente, Bruno Paraguay (vocal), Alan Wallace (guitarra e synths), Davidson Mainart (baixo) e Alexandre Oliveira (bateria) promovem o sexto álbum, “Dark Echoes”, apontado como um dos principais lançamentos de metal de 2021.

TORTURE SQUAD: tido pelos fãs de música extrema como um dos mais viscerais e poderosos em ação atualmente, o grupo paulistano de death/thrash metal Torture Squad comemora três décadas de atuação. Estreando em 1993 com a demo “A Soul in Hell”, a banda apresentou seu primeiro álbum completo, “Shivering”, cinco anos depois. Chegando agora ao seu nono trabalho de estúdio, “Devilish”, a discografia ainda destaca trabalhos ao vivo, sendo “Torture at La Iglesia En Vivo” (2022) o mais recente, além de EPs, como “Chaos Corporation” (2006) e “Return of Evil” (2016). Acostumado a tocar em grandes eventos e acumulando shows nos mais importantes festivais de metal do mundo, o Torture Squad reuniu legiões de seguidores tocando pelo Brasil, América Latina e Europa. Em 2019, enquanto Mayara Puertas (vocal), Rene Simionato (guitarra), Castor (baixo) e Amilcar Christófaro (bateria) preparavam o novo álbum, “Devilish”, participaram do festival Rock in Rio e realizaram uma turnê de sucesso pela América Central. “Estamos muito felizes em fazer parte do Summer Breeze! Preparem-se para grandes surpresas, uma performance inédita muito especial tocando as músicas do novo álbum, ‘Devilish’. É uma grande satisfação fazer parte deste line-up – nós vemos dia 28 de abril”, declarou a vocalista May Puertas.

KORZUS: pioneiro e um dos principais nomes da história do metal brasileiro. Formado em 1983, o grupo de thrash metal, que atualmente conta com Marcello Pompeu (vocal), Heros Trench e Antonio Araujo (guitarras), Dick Siebert (baixo) e Rodrigo Oliveira (bateria), celebra 40 anos de conquistas. A estreia veio com a participação na coletânea “SP Metal II” (1985), passando por “Sonho Maníaco” (1987) até chegar a cantar em inglês em “Pay for Your Lies” (1989). De lá até “Discipline of Hate” (2010) e “Legion” (2014), o grupo conta com uma discografia com sete álbuns de estúdio, dois ao vivo e um DVD, que ajudaram a marcar o nome no cenário do thrash mundial. Embora tenha lançado álbuns aclamados como “Mass Illusion” (1991) e “KZS” (1995), foi com “Ties of Blood” (2004) que o Korzus entregou uma de suas obras mais potentes. Conhecido por suas energéticas performances, participações em grandes eventos, como Monsters of Rock e Rock in Rio, além de turnês pelo Brasil, EUA e Europa, o Korzus continua forte, promovendo o seu legado como verdadeiros guerreiros do metal. Ver um show do Korzus é uma experiência singular para qualquer fã de metal e a participação na segunda edição do Summer Breeze Open Air Brasil certamente vai surpreender.

HAMMERFALL: promovendo o álbum “Hammer of Dawn” (2022), décimo segundo de estúdio, a banda sueca Hammerfall irá apresentar o seu heavy tradicional e power metal na edição de 2024 do Summer Breeze Open Air Brasil. Joacim Cans (vocal), Oscar Dronjak e Pontus Norgren (guitarras), Fredrik Larsson (baixo) e David Wallin (bateria) estão acostumados a tocar em grandes eventos, onde atualmente entregam novidades como “Brotherhood”, “Hammer of Dawn” e “Venerate Me”, e clássicos como “Let the Hammer Fall”, “Hearts on Fire” e “Glory to the Brave”. “Heavy metal é universal e em todos os lugares a paixão pela música é muito forte! Tenho muita admiração pela América do Sul de uma maneira geral, porque desde a primeira vez que fomos para esse continente sempre tivemos total apoio dos fãs”, afirmou à revista Roadie Crew Oscar Dronjak, que desde 1999 visita o Brasil com a banda. Criada há trinta anos em Gotemburgo por Dronjak, a banda apresenta uma temática épica em suas letras, muitas vezes abordando temas de cavalaria, realeza e batalhas. O debut, “Glory to the Brave” (1997), foi bem recebido e estabeleceu o HammerFall como uma das principais bandas de metal da Europa, especialmente por apostar num estilo que na época não estava em alta. No ano seguinte saiu “Legacy of Kings”, que ajudou a consolidar a posição do grupo, assim como “Renegade” (2000) e “Crimson Thunder” (2002). Mesmo tendo passado por mudanças, Oscar Dronjak e Joacim Cans conseguiram reagrupar a banda com integrantes que mantiveram o estilo e a pegada intactos. Assim, álbuns como “Threshold” (2006), “No Sacrifice, No Victory” (2009), “Infected” (2011), “(r)Evolution” (2014), “Built to Last” (2016), “Dominion” (2019) e “Hammer of Dawn” (2022) seguiram impactando e mostrando a força da banda no cenário metal.

LACUNA COIL: formado em uma era dourada para o power e prog metal na Itália, surgiu em Milão a partir do Sleep of Right. Uma mudança crucial ocorreu quando Cristina Scabbia foi convidada para contribuir com vocais, transformando o som da banda, que mudou seu nome para Ethereal e chamou a atenção da Century Media. Já como Lacuna Coil, veio seu primeiro EP em 1998 e a ascensão continuou com “In a Reverie” (1999), “Unleashed Memories” (2001) e o divisor de águas, “Comalies” (2002), que introduziu um som mais pesado e dinâmico. Hits como “Heaven’s A Lie” e “Swamped” elevaram a reputação internacional, enquanto a banda se destacou no Ozzfest nos EUA. Ao longo dos anos, a banda passou por mudanças e soltou trabalhos que a mantiveram em evidência, como “Karmacode” (2006), “Shallow Life” (2010) e “Dark Adrenaline” (2012). Em 2022, após “Black Anima” (2019), o Lacuna Coil revisitou seu material clássico e lançou “Comalies XX”, uma homenagem ao álbum que marcou sua carreira, com versões atualizadas das músicas. O Lacuna Coil vem tocando com frequência no Brasil desde 2010, mas a presença na edição de 2024 do Summer Breeze Open Air Brasil será a primeira em um festival. CARCASS: vindo da cidade de Liverpool, terra que revelou os Beatles, o Carcass também pode ser apontado como pioneiro. Não do rock’n’roll, claro, mas de subgêneros mais extremos do metal, como goregrind, deathgrind, grindcore e, posteriormente, death metal melódico. A banda passou por mudanças de formação, mas os fundadores Bill Steer e Jeff Walker se mantiveram firmes, da formação inicial em 1985 até a separação, ocorrida em 1996. Neste ínterim, o Carcass mudou o cenário da música extrema com “Reek of Putrefaction” (1988), “Symphonies of Sickness” (1989) e “Necroticism – Descanting the Insalubrious” (1991), que marcou a chegada do guitarrista sueco Michael Amott (atual Arch Enemy, ex-Carnage). Depois vieram os marcos do death metal melódico com “Heartwork” (1993) e “Swansong” (1996). O retorno à ativa se deu em 2007 e até então rendeu os álbuns “Surgical Steel” (2013) e “Torn Arteries” (2021). Ainda com Bill Steer (guitarra e vocal), Jeff Walker (baixo e vocal) e Ken Owen (bateria e vocal), lançou “Reek of Putrefaction” (1988), álbum que trouxe 22 faixas e pouco menos de 40 minutos. Censurada, a capa chocava por conter elementos repugnantes – daí, os subgêneros grindcore e goregrind.

EDU FALASCHI: o renomado vocalista e compositor Edu Falaschi, acompanhado por sua superbanda, com Roberto Barros e Diogo Mafra (guitarras), Raphael Dafras (baixo), Aquiles Priester (bateria) e Fábio Laguna (teclados), se apresentará no Summer Breeze Open Air Brasil promovendo o álbum “Eldorado”. Trata-se da segunda parte de uma trilogia conceitual que narra a saga do personagem Jorge, continuando a história de “Vera Cruz” (2021). “Eldorado” mistura elementos históricos, ficção e influências latinas, flamenco e astecas, proporcionando uma jornada musical pelas eras da cultura latina. Falaschi, também conhecido por sua passagem pelo Angra, com o qual gravou os clássicos “Rebirth” (2001) e “Temple of Shadows” (2004), já tinha uma história musical rica antes disso com o Symbols, Venus e Mitrium. Sua carreira solo também é notável, com vários álbuns lançados, além de trabalhos marcantes com o Almah. Ao longo de sua carreira, ele demonstrou sua versatilidade e habilidades vocais, incluindo a versão brasileira de “Pegasus Fantasy” e “Blue Forever”, da série Os Cavaleiros do Zodíaco. Com “Eldorado”, Falaschi continua a expandir seus horizontes musicais e a cativar públicos diversos com sua música única e envolvente.

DEATH ANGEL: contando atualmente com Mark Osegueda (vocal), Rob Cavestany (guitarra) da formação original, ao lado de Ted Aguilar (guitarra), Damien Sisson (baixo) e Will Carroll (bateria), o grupo americano de thrash metal Death Angel surgiu na Bay Area de São Francisco no começo dos anos 80. Na época, ficaram conhecidos como os prodígios da Bay Area. A demo-tape “Kill As One” (1986), produzida por Kirk Hammett (Metallica), levou ao contrato com a Enigma, que lançou o debut “The Ultra-Violence” (1987) e “Frolic Through The Park” (1988). Após a primeira turnê mundial e a mudança para a major Geffen, veio o cultuado “Act III” (1990). Apesar do ótimo desempenho musical, havia problemas com o ‘managment’. A situação piorou após um acidente com o ‘tour bus’, que acabou fazendo com que Andy Galeon ficasse inapto a tocar bateria por um longo período. A inesperada tragédia, somada aos problemas judiciais existentes, levaram ao encerramento das atividades. Os anos foram passado e as ofertas para shows foram animando os músicos. Assim, o grupo retomou sua carreira em 2001. Desde então, lançaram os álbuns “The Art of Dying” (2004), “Killing Season” (2008), “Relentless Retribution” (2010), “The Dream Calls for Blood” (2013), “The Evil Divide” (2016) e “Humanicide” (2019).

DR. SIN: se o power trio Dr. Sin conta com um histórico de respeito quando o assunto é a presença em grandes festivais, entre eles o Rock in Rio, Hollywood Rock, M2000 Summer Concerts, Live N’ Louder, Skol Rock e Monsters of Rock, agora irá incluir o Summer Breeze Open Air Brasil em 2024. Afora isso, o trio, que conta hoje com os irmãos Andria Busic (vocal e baixo), Ivan Busic (bateria e vocal) e Thiago Melo (guitarra), já dividiu o palco com Steve Vai, Joe Satriani, Yngwie Malmsteen, Deep Purple, Pantera, Ian Gillan, Bon Jovi, AC/DC, Glenn Hughes e Kiss. Promovendo “Back Home Again” (2019) e tendo lançado o CD/DVD “Acústico Dr. Sin”, gravado ao vivo no Teatro Safra (SP), o grupo também celebra os 30 anos do álbum de estreia, “Dr. Sin”.

MR. BIG: A banda americana de hard rock Mr. Big se destacou nos anos 80 e 90 com sua abordagem única do gênero, incorporando elementos de classic rock, virtuosismo instrumental e melodias cativantes. Eric Martin (vocal), Paul Gilbert (guitarra), Billy Sheehan (baixo) e o saudoso Pat Torpey (bateria) alcançaram grande sucesso comercial com o segundo álbum, “Lean Into it” (1991), notavelmente pela balada “To Be With You”. Um dos fatos marcantes da banda ocorreu justamente no Brasil, quando tocou em 1994 para cerca de 100 mil pessoas no festival M2000 Summer Concerts, em Santos (SP). Idolatrado no Brasil, o grupo tem nove álbuns lançados, com destaque ainda para “Mr. Big” (1989) e “Bump Ahead” (1993). Seu mais recente de estúdio é “Defying Gravity” (2017), que trouxe Matt Starr substituindo Torpey, falecido em fevereiro de 2018 por complicações da doença de Parkinson. O retorno da banda foi anunciado em 2021, com planos de shows em 2023, e Nick D’Virgilio foi oficializado como baterista para a “The Big Finish Tour 2023-24”. Espere por uma apresentação cheia de sucessos, pois a carreira do Mr. Big traz aos montes: “Addicted to That Rush”, “Wind Me Up”, “Alive and Kicking”, “Daddy, Brother, Lover”, “Little Boy (The Electric Drill Song)”, “Lucky This Time” e outras.

SEBASTIAN BACH: os fãs curtiram e vibraram com a presença do Skid Row na primeira edição do Summer Breeze Open Air Brasil. Porém, muitos foram os pedidos para que a organização fosse atrás do ex-vocalista da banda: Sebastian Bach. Até 1995, Bach e o Skid Row lançaram “Skid Row” (1989), “Slave to the Grind” (1991) e “Subhuman Race” (1995), desfrutando do sucesso. Depois disso, em meados de 1996, se separaram e Bach seguiu em carreira solo, gravando os álbuns “Bring ‘Em Bach Alive!” (1999), “Angel Down” (2007), “Kicking & Screaming” (2011) e “Give ‘Em Hell” (2014). “Posicionar-me atrás do microfone e sair gritando até não aguentar mais. É isso que eu sou, é isso o que faço melhor. Sou Sebastian Bach, o ‘Youth Gone Wild’ original dos EUA“, declarou certa vez à revista Roadie Crew.

ANTHRAX: a influente banda de thrash metal de Nova York é conhecida por performances sempre intensas e enérgicas. A formação original remonta a 1981, mas o debut, “Fistful of Metal”, saiu somente em 1984. A entrada de Joey Belladonna como vocalista no posto de Neil Turbin marcou uma fase de sucesso, com álbuns como “Spreading the Disease” (1985) e “Among the Living” (1987), que apresentaram clássicos como “Madhouse”, “Indians” e “I’m the Law”. Afora isso, o Anthrax também experimentou com rap e fez sucesso com “I’m the Man”. Outros álbuns notáveis incluem “State of Euphoria” (1988), “Persistence of Time” (1990) e “Sound of White Noise” (1993), já com John Bush nos vocais e trazendo o hit “Only”. Depois de alguns anos tumultuados, Belladonna retornou definitivamente em 2010 e a banda participou da turnê “Big Four” com Metallica, Megadeth e Slayer, além de lançar os álbuns “Worship Music” (2011) e “For All Kings” (2016), um EP de covers e vários DVDs ao vivo. A turnê de 40 anos foi adiada para 2022 devido à pandemia, mas a live feita em 2021 rendeu o ao vivo “XL”. Agora, o grupo planeja lançar um novo álbum em 2024, ano em que se apresentará no Summer Breeze Open Air Brasil.

AVATAR: banda sueca formada em Gotemburgo em 2001 e conhecida por sua mistura de dark heavy’n’roll, fará um retorno triunfal ao Brasil no Summer Breeze Open Air Brasil após a abertura para o Iron Maiden em 2022. O ano de 2023 tem sido significativo, pois o single “The Dirt I’m Buried In”, faixa do álbum “Dance Devil Dance”, conquistou o primeiro lugar na Billboard. O vocalista Johannes Eckerström descreve o álbum como uma jornada artística intensa e especial para eles, comparável ao lançamento de sua primeira demo. O Avatar, conhecido pelo uso de maquiagem de palhaço por Eckerström, fez sua estreia oficial em 2004 com dois EPs. O debut, “Thoughts of No Tomorrow”, foi lançado dois anos depois, mas o sucesso veio com “Black Waltz” (2021), que alcançou o 25º lugar nas paradas. Desde então, o grupo tem participado de turnês pelos EUA, de grandes festivais ao redor do mundo e lançado álbuns de impacto, como “Avatar Country” (2018) e “Hunter Gatherer” (2020). Sua presença no Summer Breeze Open Air Brasil, promovendo “Dance Devil Dance”, será mais uma conquista em sua carreira em ascensão.

BIOHAZARD: embora tenha sido criada em 1987 no Brooklyn, a banda nova-iorquina Biohazard se tornou sinônimo de música pesada dos anos 90 ao mesclar hardcore, rap e thrash metal com muito groove e agressividade. A formação clássica, que durou de 1988 a 1995, trazia Evan Seinfeld (vocal e baixo), Bobby Hambel (guitarra), Billy Graziadei (vocal e guitarra) e Danny Schuler (bateria), músicos que registraram os álbuns de maior impacto da banda: “Biohazard” (1990), “Urban Discipline” (1992) e “State of the World Address” (1994). O ingresso no mainstream contou com auxílio da gravadora Warner e a música saída das ruas Brooklyn entrou nas disputadas paradas da Billboard. Os trabalhos seguintes – “Mata Leão” (1996), “New World Disorder” (1999), “Uncivilization” (2001), “Kill or Be Killed” (2003), “Means to an End” (2005) e “Reborn in Defiance” (2012) – vieram com mudanças na formação. Porém, em meio a uma separação, uma reunião em 2008 e um período de inatividade de sete anos, a formação clássica com Seinfeld, Graziadei, Hambel e Schuler se reuniu em 2022 e vem realizando shows com frequência.

NERVOSA: promovendo o álbum “Jailbreak”, a banda liderada por Prika Amaral já vinha do sucesso de “Perpetual Chaos”. O novo álbum marca a estreia da guitarrista como vocalista permanente e apresenta Helena Kotina como segunda guitarrista, além de ter Hel Pyre no baixo e Michaela Naydenova na bateria. Mantendo o estilo calcado no thrash e death metal, o novo álbum destaca os singles “Endless Ambition”, “Seed of Death” e “Jailbreak”. Criada por Prika e a baterista Fernanda Terra em 2010, e já com Fernanda Lira (atual Crypta) no vocal e baixo, a banda gravou a demo “Time of Death” em 2012 e soltou o videoclipe de “Masked Betrayer”, que atraiu a atenção da gravadora austríaca Napalm Records. Até chegar à formação atual, a Nervosa soltou os álbuns “Victim of Yourself” (2014), “Agony” (2016), “Downfall of Mankind” (2018) e “Perpetual Chaos” (2021), e passou por diversas mudanças, tendo a presença das bateristas Fernanda Terra, Jully Lee, Pitchu Ferraz, Luana Dametto, Eleni Nota e Nanu Villalba; a vocalista Diva Satanica e a baixista Mia Wallace, além de Fernanda Lira. A banda agora pretende manter a boa fase obtida com “Perpetual Chaos”, que não apenas garantiu suas primeiras posições nas paradas, mas também foi capaz de levá-la a se apresentar nos maiores festivais da Europa, como Summer Breeze, Copenhell, Resurrection, MetalDays, Wacken Open Air e outros. E em 2024 será a vez de marcar

FORBIDDEN: o grupo americano Forbidden, originalmente formado como Forbidden Evil em 1985, ganhou destaque na cena do thrash metal da ‘Bay Area’ de São Francisco com dois álbuns emblemáticos: “Forbidden Evil” (1988) e “Twisted into Form” (1990). Apesar de serem considerados clássicos, a banda enfrentou problemas internos e mudanças de formação ao longo dos anos. Após lançar “Distortion” (1994) e “Green” (1997), que não conseguiram igualar o sucesso dos primeiros, o Forbidden ressurgiu com força em “Omega Wave” (2010). No entanto, em 2012, a banda se separou, e parecia que o fim estava próximo. Foi somente quando Norman Skinner entrou em cena para ajudar nos ensaios e se apresentar com o grupo em 2022, que o Forbidden renasceu. Agora, com Skinner nos vocais, juntamente com Craig Locicero, Steve Smyth, Matt Camacho e Chris Kontos, a banda está pronta para fazer sua estreia no Brasil no Summer Breeze Open Air. Essa reunião não é apenas uma volta, mas um renascimento que traz entusiasmo e positividade, conforme expressado por Locicero.

IN EXTREMO: banda alemã conhecida por seu estilo “Middle Age Metal”, combinando elementos do rock e metal com influências medievais e folclóricas, está preparada para encantar o público do Summer Breeze Open Air Brasil. Sua música única incorpora instrumentos tradicionais medievais, como flautas, alaúdes, tambores, gaitas de fole e harpa, junto com guitarras elétricas, baixo e bateria, criando um som cativante e distintivo. Originários de Berlim, começaram tocando versões de baladas medievais antes de focar em material autoral em alemão, mantendo uma presença de palco marcante e shows pirotécnicos em grandes festivais. Com um histórico notável, seu nono álbum, “Sängerkrieg” (“Guerra dos Cantores”), liderou as paradas na Alemanha e se destacou como o 41º mais vendido em 2008.

THE NIGHT FLIGHT ORCHESTRA: formado em 2007 por Björn “Speed” Strid e o saudoso David Andersson, o The Night Flight Orchestra fará sua estreia no Brasil no Summer Breeze Open Air. Apesar de suas raízes no metal, a banda se propõe a resgatar a melodia clássica dos anos 70 e início dos anos 80, mesclando elementos de classic rock, AOR e influências de funk, soul e disco music. Ao longo dos anos, o grupo lançou álbuns aclamados, incluindo “Amber Galactic” (2017), “Sometimes the World Ain’t Enough” (2018), “Aeromantic” (2020) e “Aeromantic II” (2021). O The Night Flight Orchestra é liderado por Strid e atualmente conta com Sebastian Forslund (guitarra, congas e percussão), Sharlee D’Angelo (baixo), Jonas Källsbäck (bateria), John Lönnmyr (teclado) e Åsa Lundman e Anna Brygård (vocais de apoio).

RATOS DE PORÃO: um dos grupos mais icônicos da cena punk/hardcore e crossover brasileira, o R.D.P. está pronto para trazer sua energia e brutalidade para o Summer Breeze Open Air Brasil em 2024. Com mais de quatro décadas de carreira desde sua formação em 1981, o R.D.P. quebrou barreiras, passou por mudanças de formação e seguiu sem olhar para trás, atravessando a era do “Grito Suburbano” pelos caminhos mais estreitos e tortuosos do underground. Após marcar presença nas coletâneas “SUB” e “O Começo do Fim do Mundo” veio o álbum de estreia, “Crucificados Pelo Sistema” (1984). Mesclando metal e punk seguiu com “Descanse em Paz” (1986) e a trilogia crossover: “Cada Dia Mais Sujo e Agressivo” (1987), “Brasil” (1989) e “Anarkophobia” (1990). João Gordo (vocal), Jão (guitarra), Juninho (baixo) e Boka (bateria) promovem atualmente seu 11º álbum. Com “Necropolítica” (2022), o R.D.P. mantém sua presença nos palcos do mundo, entregando seu crossover e continuando a abordar abertamente os aspectos mais bizarros e cruéis da vida cotidiana no Brasil.

WITHIN TEMPTATION: Banda holandesa que tem em seu DNA elementos de metal sinfônico, gothic metal, metal alternativo, doom e música pop, e é liderada pelo casal Robert Westerholt e Sharon den Adel (Robert praticamente ficou em casa cuidando dos filhos até 2011 e não fazia parte da formação ao vivo). Sharon era, portanto, a líder quando saiu “Mother Earth” (2000), que obteve sucesso e destacou a faixa “Ice Queen”, que se tornou a terceira música mais ouvida na Holanda na época de seu lançamento. A partir deste momento, o Within Temptation se tornou um fenômeno mundial, lançando álbuns premiados, começando por “The Silent Force” (2004). A fusão entre o metal e elementos diversos do pop atingiu proporções grandiosas em “The Unforgiving” (2011), seguido pelo bem-sucedido “Hydra” (2014). Atualmente, a banda, que já recebeu diversos prêmios internacionais, incluindo World Music Award, MTV Europe Music Awards e Metal Hammer Award, promove seu 9º álbum, “Bleed Out”, que sucede “Resist” (2019). “Uma nova era para a banda. Mantivemos o nosso DNA vivo, mas construímos e evoluímos a nossa música com riffs mais poderosos, breakdowns contemporâneos e refrãos épicos”.

AMORPHIS: Com 15 álbuns de estúdio em sua discografia, a banda finlandesa atualmente formada por Tomi Joutsen (vocais), Esa Holopainen e Tomi Koivusaari (guitarras), Olli-Pekka Laine (baixo), Jan Rechberger (bateria) e Santeri Kallio (teclados), promove o álbum “Halo” (2022), lançado pela gravadora alemã Atomic Fire Records. No entanto, nenhum trabalho do Amorphis estaria completo sem a narrativa imaginativa e poética do renomado letrista Pekka Kainulainen. “Desde o primeiro dia, Pekka sempre foi um letrista entusiasmado e produtivo para o Amorphis”, diz Joutsen. “É um processo lento traduzir a poesia finlandesa arcaica para o inglês e adaptá-la aos nossos ritmos progressivos. Felizmente, Pekka faz tudo na hora e com muito cuidado.” Desde “Silent Waters” (2007), Kainulainen navega pelas águas mitológicas de sua terra natal com grande habilidade e respeito. Em “Halo”, ele se superou mais uma vez. “‘Halo’ é um disco temático solto, cheio de contos de aventura sobre o Norte mítico, dezenas de milhares de anos atrás”, explica ele. “A letra fala de uma época antiga em que o homem vagava por essas fronteiras boreais abandonadas após a era do gelo. Ao descrever o renascimento de uma cultura seminal em um mundo de novas oportunidades, também tento alcançar as forças sempiternas da mente humana.”

ECLIPSE: Banda de hard rock da Suécia que conta com Erik Mårtensson (vocal), Magnus Henriksson (guitarra), Victor Crusner (baixo) e Philip Crusner (bateria) e atualmente promove o álbum “Megalomanium”, que será lançado oficialmente no começo de setembro pela Frontiers Music. “‘Megalomanium’ é o Eclipse prestando homenagem aos fãs através dos elementos que se tornaram marcas registradas no catálogo da banda, mas também ousando se aventurar em novos territórios inexplorados e sons. É um álbum repleto do DNA completo da banda, um mergulho destemido no fundo da piscina – ou, neste caso, no Lago Siljan, que cerca a ilha no centro da Suécia, onde gravamos toda a nossa música”. O Eclipse gerou mais de 100 milhões de reproduções online e aproximadamente meio milhão de ouvintes mensais nas principais plataformas de música, tornando-os uma das maiores bandas de rock a surgir da Suécia nos últimos anos – o novo single, “Got It!”, acumulou mais de 97 mil reproduções apenas no Spotify. Fundado em 1999, o grupo tem lançado álbuns memoráveis e continua a evoluir no cenário mundial com trabalhos recentes, como “Wired” (2021), “Paradigm” (2019) e “Monumentum” (2017). A banda já acumula clássicos em sua carreira, como “Viva La Victoria”, “Roses On Your Grave”, “Runaways” e “Saturday Night (Hallelujah)”.

ANGRA: Uma dos grandes nomes do metal brasileiro, o Angra está a todo vapor divulgando o recém-anunciado “Cycles of Pain”, décimo da discografia iniciada há 30 anos com “Angels Cry”. Rafael Bittencourt (fundador e guitarrista), Fabio Lione (vocal), Marcelo Barbosa (guitarra), Felipe Andreoli (baixo) e Bruno Valverde (bateria) assinaram um contrato com a gravadora alemã Atomic Fire Records e lançaram recentemente o clipe “Ride Into The Storm”, trazendo diversas analogias sobre o passado e o futuro promissor que os aguarda. Na época do lançamento, a banda comentou: “‘Ride Into The Storm’ é uma peça implacável e agressiva que captura a essência do Angra. Com seu ritmo acelerado e toque moderno, a música mantém o DNA da banda, ao mesmo tempo em que entrega passagens intricadas e tecnicamente desafiadoras; a fusão de elementos tradicionais e progressivos empurra os limites sem sacrificar o estilo característico da banda. ‘Ride Into The Storm’ é mais um passo na evolução da banda, incorporando agressividade, velocidade, modernidade e habilidade em um pacote coeso e envolvente.” Muito aguardado pelos fãs, “Cycles of Pain” será o começo de um novo ciclo para um nome que é considerado por músicos e críticos um dos mais importantes para o power metal mundial e que sempre primou pela excelência e ousadia ao se aventurar por diversos territórios na música.

NITE STINGER: Grupo paulistano de hard rock formado por Jack Fahrer (vocal), Bruno Marx e Marc DeLuca (guitarras), Bento Mello (baixo) e Ivan Busic (bateria) que recentemente tocaram ao lado do Europe e Hardcore Superstar. O grupo surgiu quando Bento Mello deixou o Tales From The Porn, em abril de 2019, e se uniu ao guitarrista Bruno Marx, que era seu parceiro naquela banda. A escolha do nome veio, inicialmente, quando Bento Mello pensou em um cardápio de drinques e conversou com o amigo e bartender João Piccolo, que sugeriu Midnight Stinger, nome que foi encurtado para Nite Stinger. O álbum “Nite Stinger” obteve grande respaldo da mídia e figurou em diversas listas dos melhores do ano. Com um som marcante e uma proposta visual que reflete sua identidade, o Nite Stinger continua a impactar o cenário do hard rock, preparando-se para novos lançamentos.

HELLISH WAR: Originária de Campinas (SP), a banda de heavy metal Hellish War conta com Bil Martins (vocal), Vulcano (guitarra), Daniel Job (guitarra), JR (baixo) e Daniel Person (bateria). O grupo foi formado em 1995 e é conhecido por suas performances energéticas e pela habilidade de criar músicas que remetem à era dourada do metal. Em 2001, lançou seu álbum de estreia, “Defender of Metal”, que ganhou reconhecimento no cenário nacional e internacional. Em álbuns como “Heroes of Tomorrow” (2008), “Keep It Hellish” (2013) e “Wine of Gods” (2019), a banda explora temas épicos, riffs poderosos e letras que refletem a essência do metal clássico. O grupo, que também tem em sua discografia o ao vivo “Live in Germany”, é reconhecido por suas performances ao vivo, tendo participado de importantes festivais, como Abril Pro Rock, tendo feito duas turnês na Europa e compartilhado o palco com outras bandas renomadas ao longo de sua jornada.

ZUMBIS DO ESPAÇO: Formado em 1996 por Tor nos vocais, Zumbilly na bateria e Gargoyle no baixo, todos entusiastas de filmes de terror, livros e quadrinhos de ficção. A banda lançou vários álbuns e EPs ao longo dos anos, como “Abominável Mundo Monstro”, “Aqui Começa o Inferno”, “Destructus Maximus”, “Nós Viemos Em Paz”, explorando uma mistura única de punk rock, metal, música country e rockabilly/psychobilly. Em 2023, celebrando 30 anos, lançaram o álbum ao vivo “3 Décadas Ao Vivo”, participaram da Horror Expo e estiveram em estúdio gravando novo material, que planejam lançar no início de 2024 e iniciar uma nova turnê no Summer Breeze Open Air Brasil.

NOTURNALL: Formada em 2014 e, desde então, tem sido um grande representante do Heavy Metal brasileiro. Formada por Thiago Bianchi nos vocais, Saulo Xakol no baixo, Henrique Pucci na bateria e o renomado Mike Orlando (Adrenaline Mob) na guitarra, atualmente a banda trabalha na divulgação de seu quarto álbum de estúdio, “Cosmic Redemption”, com turnês pela Europa, Ásia, Oceania e também pelo Brasil.

SIOUX 66: Com mais de uma década de estrada, o grupo paulistano de hard rock Sioux 66 é formado por Igor Godoi (vocal), Yohan Kisser (guitarra), Bento Mello (baixo) e Gabriel Haddad (bateria). A discografia conta com três álbuns – “Diante Do Inferno” (2013), “Caos” (2016) e “MMXIX” (2019) –, além dos EPs “Sioux 66” (2012) e “Vault” (2023) e os singles “Nobody Knows You” e “In Your Sight”, primeiros em inglês nesta nova fase da banda. Com um show energético, dinâmico e vibrante, o grupo paulistano vem colecionando apresentações marcantes, como a recente participação na turnê de retorno dos Titãs, a abertura para o Aerosmith no estádio Allianz Parque (SP) e a presença em duas edições no “Rock in Rio”, em 2019 e 2022. Além disso, também compartilhou o palco com artistas estrangeiros como Papa Roach, Crucified Barbara e Gilby Clarke, além de ter tocado ao lado de nomes conhecidos do cenário nacional. Além de apresentar suas músicas autorais, a banda também fez releituras de clássicos do rock nacional, como “O Calibre” dos Paralamas do Sucesso e “Diversão” dos Titãs. Atualmente preparando um novo álbum para o primeiro semestre de 2024, que será lançado pela Virgin Music Brasil, a banda divulga o novo single e lyric video, “In Your Sight”, com produção musical feita com o parceiro de longa data Henrique Canalle e direção de arte para o vídeo feita por Xtudo Obze.

CULTURA TRES: com raízes latino-americanas, o grupo liderado pelos irmãos Alejandro Londoño Montoya (vocal e guitarra) e Juan de Ferrari Montoya (guitarra) atraiu atenção ao incorporar influências dos novos membros Paulo Jr. (baixo, Sepultura) e Jerry Vergara Cevallos (bateria) em seu quinto álbum, “Camino de Brujos”. O álbum explora o poder do thrash metal com o sludge e a sensação melancólica do rock clássico, tudo através da perspectiva de gravações orgânicas. A integração de Paulo Jr. começou como uma participação em 2019, mas evoluiu para sua entrada efetiva durante a produção de “Camino de Brujos”. A colaboração foi marcada por histórias engraçadas, adaptações criativas e a influência da pandemia, que permitiu a gravação do disco enquanto estavam em casa. Por suas raízes na Venezuela, Brasil e Colômbia, o Cultura Tres expressa otimismo e a intenção de levar sua música aos fãs na América do Sul, sendo a presença no Summer Breeze Open Air Brasil.

JOHN WAYNE: Formada em 2009, a John Wayne é uma banda de metalcore com composições em português e é considerada uma das principais e mais influentes do gênero no Brasil. Possui em sua discografia um EP, três álbuns, diversos singles e videoclipes lançados. Foi atração do Palco Sunset do Rock in Rio em 2015 e já se apresentou em importantes festivais do país, como o Goiânia Noise (2015), Rock na Praça (2016), Hell in Rio (2016), Abril Pro Rock (2017), Araraquara Rock (2023) e Rockfun Fest (2023). Atualmente a John Wayne vem trabalhando seu mais recente álbum, o “Purgatório”, e dois novos singles/videoclipes, “Semblantes” e “Reconectar”, foram lançados no primeiro semestre de 2023.

ALCHEMIA: Banda de horror metal fundada em São Paulo, em 2018, por Victor Piiroja (vocal) e que é completada por Rodrigo Maciel (guitarra), G.Morazza (baixo), Alex Christopher (bateria) e Wally D’Alessandro (teclado). O álbum de estreia, “Inception”, foi lançado em 2021 pela gravadora italiana WormholeDeath Records e, no ano seguinte, saiu no Japão. No mesmo ano, a banda saiu em turnê pelo Brasil, Argentina e Europa. Com letras que abordam temas como reflexão, consciência, prisão mental, fobias e distúrbios psicológicos, “Inception” é um álbum sombrio e contemporâneo que remete a trilhas de terror. A sonoridade traz influências de heavy metal, black metal, death metal, industrial, gothic, trilhas de filmes e orquestração clássica. Em 2023, o Alchemia fez uma pausa na produção do novo álbum para tocar nos festivais Los Muertos e Horror Expo Brasil. Confirmado para o Summer Breeze Open Air Brasil, o grupo apresentará um show envolvente e marcante, com faixas de “Inception” e do sucessor, “Become Human”, que será lançado em 2024.

RAGE IN MY EYES: O Rage In My Eyes, originário do Rio Grande do Sul, conquistou o público ao combinar metal com elementos de Milonga, incorporando o acordeon de forma única. Seu álbum de estreia, “Ice Cell” (2019), foi parcialmente gravado em Los Angeles, EUA, e impulsionou a banda a abrir o show do Iron Maiden em Porto Alegre. O segundo álbum, “Spiral” (2021), apresentou três videoclipes. Em 2022, gravaram o DVD “And Then Came The Theater”, tocando músicas dos dois álbuns e homenageando Andre Matos. Em 2022, foram banda de suporte do Angra e, em 2023, foram headliners do festival Nova Geração Bravo Metal Fest. Atualmente, estão em processo de composição, planejando lançar novas músicas e vídeos em 2024.

ABOUT2CRASH: Banda formada por Theo Vieira (voz), Airton Araujo (voz), os guitarristas Anderson Carlos e Cristiano Wortmann, o baixista Gus D e o baterista Marcus Dotta se consagrou no cenário do heavy metal brasileiro por ter se apresentado no Rock In Rio antes mesmo de terem seu primeiro álbum lançado no mercado. “I Am God”, o álbum de estreia, foi mixado por Damien Rainaud (Fear Factory, DragonForce) em Los Angeles, e masterizado pelo brasileiro Adriano Daga (Lenny Kravitz, Malta). O primeiro registro da banda foi recebido com muito louvor pela mídia especializada como também teve uma aceitação positiva no meio mainstream. Suas músicas, inclusive estiveram presentes em aberturas de programas de TV e foram utilizadas pelo lutador Viscardi Andrade em suas lutas no UFC. “I Am God” possui músicas que abordam temas altamente emocionais e contemporâneos e teve duas músicas transformadas em videoclipe, são elas: “I Am God” e “Until The End”. Considerada umas das mais inovadoras bandas do cenário nacional, o A2C é uma celebração da música pesada. A banda está em turnê divulgando seu mais recente álbum e pretende mostrar ao público do Summer Breeze Brasil a que veio.

AXTY: Quarteto paulista formado por Felipe Hervoso (vocal), Felipi Grivol (guitarra), Jonathas Peschiera (baixo) e Gabriel Vacari (bateria), músicos que tocam um metalcore que combina o controle de drives, power screaming e vocais limpos de Hervoso com toda a técnica do restante da banda, criando uma combinação visceral, moderna e emocional, sem perder a agressividade do gênero. Com seu álbum de estreia, “Helpless”, o AXTY chamou atenção não apenas da cena underground brasileira, mas também de ouvintes no exterior. Atualmente, o grupo encontra-se em produção do terceiro álbum de estúdio, tendo lançado os singles “Six Feet Under” e “Take Me Down”, marcando a estreia sob a parceria com o selo Outono Music, que é vinculado à major Universal Music. A banda está preparada para mostrar o seu metalcore visceral, moderno e emocional no Summer Breeze 2024.

CLASH BULLDOGS: Marcelo Braune (vocal e guitarra), Daniel Stone (guitarra), Bruno Eller (baixo) e Mauricio Tarrago (bateria) são de Nova Friburgo (RJ) e criaram o Clash Bulldog’s em 2020. O nome veio através de Argus, buldogue de estimação de Marcelo, mas que acabou se tornando de toda a banda. Após lançar seis singles/vídeos, além de se apresentar em várias cidades do Brasil ao lado de nomes como Angra, Noturnall, Shaman, Sinistra, Matanza, entre outros, veio o debut, “Bark Power”. Mesclando heavy, hard e stoner com muito peso, o material conta com participações especiais de Henrique Fogaça (Oitão), Mike Orlando (Adrenaline Mob, Sonic Stomp, Noturnall) e Blaze Bayley. O show de lançamento ocorreu na 3ª edição do Friburgo Rock Fest, onde se apresentou ao lado de Angra, Jeff Scott Soto, Sinistra, Noturnall, Torture Squad, entre outros. O grupo também lançou um material ao vivo captado da apresentação no Estúdio Showlivre, na qual executou o debut na íntegra.

KRYOUR: Kryour é um grupo paulistano formado em 2014, que se destacou com o single de estreia “Chaos Of My Dream” (2015) e “Falling in Oblivion” (2016). Seu álbum “Where Treasures Are Nothing” impulsionou a banda a shows renomados e diversas cidades, incluindo abertura para Symphony X. Reconhecida pela mídia brasileira, a banda participou de entrevistas e eventos, como o programa Kiss Club da rádio Kiss FM. Em 2020, a pandemia interrompeu as atividades, levando à mudanças na formação com a entrada de Guba Oliveira na guitarra. Em 2023, a banda retorna com novos singles e o EP “Creatures Dwell My Room”, lançados em parceria com a Outono Music e Universal Music. Destacaram-se no no concurso New Blood, do Summer Breeze Brasil 2023 e conquistaram convites para shows, incluindo uma turnê com Project46 e abertura para In Flames em São Paulo.

ELECTRIC MOB: Originário de Curitiba (PR), o grupo formado por Renan Zonta (vocal), Ben Hur Auwarter (guitarra), Yuri Elero (baixo) e Mateus Cestaro (bateria) ganhou destaque e surpreendeu tanto no cenário nacional quanto internacional com seu álbum de estreia, “Discharge” (2020), que alcançou mais de 4 milhões de plays no Spotify e o single “Devil You Know”, que ganhou destaque nas paradas internacionais da Billboard Indicator Charts. A banda trem contrato com a respeitada gravadora europeia Frontiers Music, que representa artistas renomados como Whitesnake, Winger, Eclipse, Mr. Big e outros. Em janeiro de 2023, saiu o segundo álbum, “2 Make You Cry & Dance”, recebendo críticas positivas por todo o mundo, seguido por uma bem-sucedida turnê pelo Brasil. Em 2023, a banda acompanhou o Project 46 na turnê nacional “Terra de Ninguém”, ampliando ainda mais sua presença em diversos estados brasileiros.

MINIPONY: Projeto de metal experimental equatoriano influenciado por math, breakcore e música latina, que combina estruturas polirrítmicas com riffs minimalistas de guitarra e gritos/urros femininos. O grupo é formado por Amadeus Galiano (guitarra), Emilia Moncayo (voz/samplers/noise) e Carlos Sanches (bateria). Em 2013, o grupo lançou um EP juntamente com um videoclipe em stop motion para a faixa “MilkWithSilk”. O álbum de estreia, “Imago” saiu em 2017 pela gravadora italiana Subsound Records. Já o novo álbum, “Ajna”, foi gravado no Silver Cord Studios (Brooklyn NY), do Gojira. O material foi lançado em 11 de junho de 2022 no MINIPONY FEST em Quito, com um alto nível de execução e impacto visual.

Confira o after movie do festival com imagens exclusivas da primeira edição:

Compartilhe
Assuntos

Veja também