Metal na Lata

Paragon – “Controllled Demolition” (2019)

54386841_1304279246379023_3944086502484475904_n
Compartilhe

Paragon “Controllled Demolition” (2019)
Massacre Records | Hellion Records Brazil
#PowerMetal#SpeedMetal

Para fãs de: Primal FearGrave DiggerU.D.O.

Nota: 9,5

Que petardo! Que aula de Heavy Metal! Não é a toa que o Paragon é uma banda idolatrada por seus fãs. Com tanto tempo de estrada, e lançando grandes álbuns ano após ano, a música da banda virou quase que uma referência para fãs do tradicionalíssimo Power Metal germânico e, inexplicavelmente, a banda não ostenta (ao menos no Brasil) a mesma pompa de outras bandas do mesmo gênero.

“Controlled Demolition” é o 12º trabalho de inéditas da banda e, com certeza, figura entre os mais pesados e insanos já lançados pelos caras.

A faixa título é uma instrumental que começa com um sintetizador um tanto quanto sem graça, mas é só um susto inicial, já que o Metal ultra pesado toma conta do ambiente, emendando com a fantástica “Reborn”, uma das mais pesadas composições já gravados pelo Paragon, onde riffs e mais riffs velozes e “sujos” tomam conta dos amplificadores, em uma faixa que o lembrará dos melhores momentos de bandas como Primal Fear.

Outra faixa bem “metalzona” é “Mean Machine” com riffs simples e bem encaixados, a banda dosou com perfeição o Power com o Speed Metal; dá até pra imaginar essa sendo cantarolada pelo mestre Udo Dirkschneider. “Deathlines” com seus 8 minutos de duração, é o ponto fora da curva, já que flerta discretamente com o progressivo, sem deixar de ser Power Metal.

Daí pra frente é só pancadaria com “Musangwe (B.K.F.)”, “Timeless Souls” e a quase Thrash Metal, “Blackbell”, sendo essa daquelas que arrasa qualquer pescoço. Não posso deixar de citar a batalha de solos de “The Enemy Within”, com duelos entre Jan Bertram e Günny Kruse, onde um parece querer fritar o outro. Incrível!

O Paragon é uma banda que merecia (e deveria) ser maior do que é. Não há como não aplaudi-los por sua carreira como um todo, e chagar até aqui com um disco matador como esse, é para muito poucos. Ouça!

Mauro Antunes

Compartilhe
Assuntos

Veja também