Metal na Lata

Exodus – “British Disaster The Battle of ’89 (Live At The Astoria)” (2024)

exodus_disaster
Compartilhe

Exodus – “British Disaster The Battle of ’89 (Live At The Astoria)” (2024)

Nuclear Blast | Shinigami Records
#ThrashMetal
Para fãs de: Testament, Overkill, Death Angel, Slayer, Anthrax

Texto por Johnny Z.

Nota: 10

Acredito que, como a banda mudou de gravadora e ainda tinha um lançamento pendente pela Nuclear Blast, o Exodus solta agora – depois de 35 anos de ‘atraso’ – um álbum ao vivo definitivo, gravado na turnê de divulgação de um dos melhores álbuns dos americanos: “Fabulous Disaster”, de 1989. Sim, o “Bonded By Blood” é o melhor, antes que alguém pense em cortar os próprios pulsos (risos).

Caro leitor, se você se perguntou por que estou dizendo sobre ser um lançamento definitivo, já que existe também o álbum ao vivo – e tosco – “Good Friendly Violent Fun”, do mesmo ano, eu explico: não há comparação entre eles. “Good Friendly…” nem era para ter sido lançado na época, sendo uma gravação mediana, com um tracklist recortado e faltando várias músicas. É ruim? Nunca! Mas se você ouvir “British Disaster”, com certeza esquecerá a existência do anterior rapidamente!

Motivos? Todos! Mas os principais são: show completo, tracklist e qualidade de gravação IMPECÁVEL!

Sem brincadeira, se você não souber que é um show de 1989 (mesmo estando estampado na capa), ao ouvir, vai achar que a banda gravou esse show recentemente. A produção, mixagem e masterização são de se ajoelhar ‘de pé’ (risos).

Que a banda formada na época por Steve ‘Zetro’ Souza (vocais), Gary Holt e Rick Hunolt (guitarras), Rob McKillop (baixo) e Tom Hunting (bateria) estava no auge, não é segredo para ninguém. Mas ouvir faixas do genial “Bonded By Blood” na voz de Zetro Souza – no total cinco, que você, fã, sabe quais são – e ter cacetadas como “Parasite”, “The Last Act Of Defiance”, “Like Father, Like Son”, “Verbal Razors”, por exemplo, já valeria a aquisição deste lançamento, mesmo que a qualidade não fosse tão incrível como é.

Gravado ao vivo no Astoria, em Londres, em 8 de março de 1989, o Exodus tinha acabado de lançar “Fabulous Disaster” e agora está dignamente registrado como se fazia Thrash Metal antigamente, sem frescura, bobeira, segregação, politicagem e, principalmente, com muita energia, peso e sangue nos olhos que nem a mais ‘violenta’ banda recente sonha em ter.

Diga-me se este tracklist não é para ser aplaudido por dias seguidos: “The Last Act Of Defiance”, “Fabulous Disaster”, “‘Til Death Do Us Part”, “Corruption”, “The Toxic Waltz”, “A Lesson In Violence”, “Chemi-Kill”, “Piranha”, “Like Father, Like Son”, “Deliver Us To Evil”, “Parasite”, “And Then There Were None”, “Verbal Razors”, “Brain Dead” e “Strike Of The Beast”?

Interessante é ouvir alguns diálogos de ‘qualidade duvidosa’ (risos) entre as músicas, principalmente antes de “Piranha”, que já se tornaram também clássicos.

Os meus destaques vão para “The Last Act Of Defiance”, “Fabulous Disaster”, “The Toxic Waltz” (esta com um vocal mais despojado de Zetro), “Piranha”, “Parasite” e “Verbal Razors”.

Se você gosta de show ao vivo com muito ‘punch’, peso nas alturas, nitidez, produção cristalina e uma banda que não comete erros, compre o seu AGORA, pois enfim temos um álbum ao vivo e completo digno para representar a fase de Steve ‘Zetro’ Souza. Ouvi-lo baixo não é uma opção!

Ah, não se desfaça de “Good Friendly, Violent Fun”, pois nele temos duas faixas, “Cajun Hell” e “Dirty Deeds Done Dirt Cheap” (cover do AC/DC), que a banda não tocou na noite deste ‘novo velho’ lançamento. Apenas esqueça-o, mas não se desfaça (risos).

Compartilhe
Assuntos

Veja também