Metal na Lata

Tailgunner – “Guns for Hire” (2023)

tailgunner
Compartilhe

Tailgunner – “Guns for Hire” (2023)

FireFlash Records | Shinigami Records
#HeavyMetal #NWOBHM #SpeedMetal

Para fãs de: Tokyo Blade, Iron Maiden, Enforcer

Texto por Mauro Antunes

Nota: 9,0

Bandas novas surgem aos milhares todos os dias, mas poucas têm o poder de chamar a atenção logo de cara de uma gravadora nos dias de hoje. Muitas acabam no ostracismo e encerram as atividades após uma ou algumas demos gravadas, enquanto outras conseguem algum sucesso em um mercado cada vez mais competitivo. Felizmente, para nós headbangers, tivemos a sorte de conhecer os britânicos do Tailgunner. Se me colocassem no escuro para ouvi-los sem saber de que país eles vêm, acredito que acertaria de primeira, pois seu som é firmemente enraizado nas mais profundas tradições da NWOBHM, o que por si só já torna sua música bastante interessante.

“Guns for Hire” possui 10 faixas bem elaboradas, todas complementando-se perfeitamente umas às outras, e com isso fica até injusto apontar destaques individuais. O que temos aqui é puro e cristalino Heavy Metal Old School, com raízes oitentistas intensas, que o transportará para aquela época como uma máquina do tempo.

Por exemplo, ao ouvir “White Death”, é fácil imaginar que ela poderia estar no ultra clássico álbum “Killers” (1981) do Iron Maiden. Acredito que as influências da banda de Steve Harris sejam uma das principais referências musicais do Tailgunner (e não estão “mal” nesse quesito, certo?). “Revolution Scream” é pura melodia, a faixa mais veloz do disco. A faixa-título é incrível, curta e direta, repleta de riffs e com o baixo em destaque.

“Rebirth” é a faixa épica que encerra o disco com chave de ouro. A experiência de ouvi-la é tão impactante que considero-a a melhor do disco, com seus mais de 8 minutos de duração. Uma viagem psicodélica regada a riffs rápidos, melódicos e furiosos. Fantástica!

Caro leitor, o Tailgunner merece muito a sua atenção durante seus 47 minutos de duração. Como a banda ainda é jovem, este é apenas o início de tudo, e temos aqui o típico trabalho que pode cair no esquecimento. Sei que já ouvi vários trabalhos similares e que os deixei de lado posteriormente, afinal, ouvimos muitas coisas, mas isso não acontecerá com esse ótimo trabalho. Adquirirei minha cópia física, e além do lançamento físico nacional, o mesmo pode ser apreciado nas principais plataformas digitais. Vale a pena mesmo!

Compartilhe
Assuntos

Veja também